Escreva, clique aqui. Usuário cadastrado clique aqui
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Nosso Apolo e nosso Dionísio

Jorge Luis Borges e Gabriel García Márquez: os dois escritores mais influentes e poderosos da América Latina e da língua espanhola.

aqui

email twitter facebook imprimir
quinta-feira, 08/03/2012 | Comentar

O que é o Ecad? E por que ele está cobrando direito autoral de blogs?

Audiência pública da CPI do Ecad em outubro, com Glória Braga e o senador Randolfe Rodrigues (centro)

Esta semana, o Ecad se tornou um dos assuntos mais discutidos por cobrar dinheiro de blogs que apenas embedaram vídeos...

email twitter facebook imprimir
quinta-feira, 08/03/2012 | Comentar

PSDB apresenta projeto para transformar Comitê Gestor da Internet em polícia

No dia em que ainda nem nos recuperamos do estardalhaço causado pelo ECAD com a sua cobrança a blogs e sites por “embedarem” vídeos do Youtube, chega a nosso conhecimento mais um projeto bomba sendo apresentado no Congresso Nacional.

email twitter facebook imprimir
quinta-feira, 08/03/2012 | Comentar

Dia 8 de Março: do feminismo à valorização conservadora da mulher

Por Alípio de Sousa

A valorização conservadora da mulher que se pratica nos discursos que usurparam a cena pública do 8 de março é antifeminista. É hipócrita e ardilosa.

aqui

email twitter facebook imprimir
quinta-feira, 08/03/2012 | Comentar

“Shame” retrata sociedade bombardeada pelo sexo

Por Elaine Guerini | Para o Valor, de Toronto

O diretor Steve McQueen diz que “Shame” é comentário sobre sociedade em que o sexo é vendido indiscriminadamente.

aqui

email twitter facebook imprimir
Posts mais antigos

Poesia //

Ver todas
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Abri abrigos

Por Lívio Oliveira

Abri portas abri corpos abri copos
abri latas abri livros abri dias abri pernas
toda a história entra contada entreaberta
entrecortes entre tantos tintos entredentes
nessa estória recortada recontada errada
que resvala no centro e nos tentos perdidos
signos ostentados de uma dor partida em dois
uma dor partida em dois e um só resto
do que fui ontem amparado pelo sólido ar
no nada rompido no nada estragado no nada
que abrigo que abrigo que abrigo.