Escreva, clique aqui. Usuário cadastrado clique aqui
quinta-feira, 24/04/2014 | 3 Comentários

Teimosa humanidade

Por Marcos Silva

Peço, se possível, a reprodução do texto “Teimosa humanidade”, de Noemi Jaffe (FSP, 24.4.14) neste blog. É um escrito sereno, preciso, profundo. Tenho orgulho de lecionar na Universidade onde essa escritora se doutorou.

************

Teimosa humanidade
Por Noemi Jaffe
FSP

Ridicularizar o desejo de mudança social, simplificá-lo com o epíteto...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

A felicidade no abismo

“Não tenho o vislumbre de me sentir ator. Tem gente que vive do próprio ego, a se carcomer”. Foto: Adriana Lorete

Ele queria a entrevista aos pés de um baobá, árvore sagrada para os africanos, cujo tronco monumental leva à sugestão de estar de...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

BitTorrent ajuda vendas de música, diz estudo

Por Redação Link
ESTADÃO

Conclusão é de que não há prova de que downloads ilegais tenham impacto negativo em lançamentos de álbuns

Downloads do BitTorrent ajudam a venda de álbuns de música. Pode soar como heresia para a indústria fonográfica,...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

História sem recalque

Por Ivan Marsigliae
O Estado de S. Paulo

Ex-guerrilheiro que se tornou psicanalista fala do desamparo da tortura

Em 1970, aos 25 anos – um “adulto”, segundo diz – Reinaldo Morano Filho largou o quarto ano do curso de medicina na Pinheiros para se lançar em uma aventura tão incerta quanto...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

O que dinossauros nos ensinam

Por Marcelo Gleiser
FSP

A história das colisões na Terra mostra que, se a história tivesse sido outra, não estaríamos aqui

Às vezes, a morte vem de lugares inesperados. Para um dinossauro que vivia há 65 milhões de anos, o maior perigo eram outros...

email twitter facebook imprimir
Posts mais antigos

Poesia //

Ver todas
quinta-feira, 24/04/2014 | Comentar

OS POETAS SUICIDAS

Por José Carlos Mendes Brandão

Eu amo os poetas suicidas.

Amaram demais a vida.

A corda tensa arrebentou.

Eu vomito quem não é quente nem frio, disse o Senhor,

e os poetas suicidas acreditaram: consumiram-se no fogo da         

                                                                             paixão.

Georg Trakl ouviu o silêncio de Deus, num poço, no bosque.

Cesare Pavese viu a morte nos próprios olhos.

Maiakovski quis ser um girassol.

Ana Cristina César bebeu a sua cota de fel. 

Mário de Sá-Carneiro ouviu o eco, o oco, o seco.

Paul Celan mergulhou no abismo de Deus.

Empédocles mergulhou num vulcão para provar que era Deus.

Os poetas suicidas amaram demais a vida.

Eu amo os poetas suicidas porque não veem,

como eu, indiferentes,

os dedos marcados na borda do poço.

                   Eu amo os poetas suicidas.

                   Como as coisas são apenas imagens,

                   escreveram poesia com a própria morte.