Escreva, clique aqui. Usuário cadastrado clique aqui
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Nosso Apolo e nosso Dionísio

Jorge Luis Borges e Gabriel García Márquez: os dois escritores mais influentes e poderosos da América Latina e da língua espanhola.

aqui

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

A felicidade no abismo

“Não tenho o vislumbre de me sentir ator. Tem gente que vive do próprio ego, a se carcomer”. Foto: Adriana Lorete

Ele queria a entrevista aos pés de um baobá, árvore sagrada para os africanos, cujo tronco monumental leva à sugestão de estar de...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

BitTorrent ajuda vendas de música, diz estudo

Por Redação Link
ESTADÃO

Conclusão é de que não há prova de que downloads ilegais tenham impacto negativo em lançamentos de álbuns

Downloads do BitTorrent ajudam a venda de álbuns de música. Pode soar como heresia para a indústria fonográfica,...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

História sem recalque

Por Ivan Marsigliae
O Estado de S. Paulo

Ex-guerrilheiro que se tornou psicanalista fala do desamparo da tortura

Em 1970, aos 25 anos – um “adulto”, segundo diz – Reinaldo Morano Filho largou o quarto ano do curso de medicina na Pinheiros para se lançar em uma aventura tão incerta quanto...

email twitter facebook imprimir
domingo, 20/05/2012 | Comentar

O que dinossauros nos ensinam

Por Marcelo Gleiser
FSP

A história das colisões na Terra mostra que, se a história tivesse sido outra, não estaríamos aqui

Às vezes, a morte vem de lugares inesperados. Para um dinossauro que vivia há 65 milhões de anos, o maior perigo eram outros...

email twitter facebook imprimir
Posts mais antigos

Poesia //

Ver todas
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Abri abrigos

Por Lívio Oliveira

Abri portas abri corpos abri copos
abri latas abri livros abri dias abri pernas
toda a história entra contada entreaberta
entrecortes entre tantos tintos entredentes
nessa estória recortada recontada errada
que resvala no centro e nos tentos perdidos
signos ostentados de uma dor partida em dois
uma dor partida em dois e um só resto
do que fui ontem amparado pelo sólido ar
no nada rompido no nada estragado no nada
que abrigo que abrigo que abrigo.