Escreva, clique aqui. Usuário cadastrado clique aqui
terça-feira, 22/07/2014 | 1 Comentário

João Ubaldo

Por Woden Madruga
NA TRIBUNA DO NORTE

A primeira passagem de João Ubaldo Ribeiro por Natal foi nos idos de 1978, maio daquele ano quando aqui se realizou a I Semana de Cultura Nordestina, uma promoção da UFRN com o apoio do Governo do...

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 12/06/2012 | 1 Comentário

Golpe no Facebook promete botão ‘Não Curti’

Nayara Fraga, do Radar Tecnológico
ESTADÃO

Aplicativo “Enable Dislike Button”, que surge como uma das notificações no perfil do usuário, não passa de vírus

SÃO PAULO – O contrário do botão “Curtir” (“não curtir” ou dislike, em inglês) não existe no Facebook. E...

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 12/06/2012 | Comentar

A rainha má e o terror de envelhecer

Por Eliane Brum

Neste conto de fadas para mulheres adultas, uma ruga vale uma alma.

aqui

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 12/06/2012 | Comentar

Entre o sonho e o real: cem anos de Strindberg

Retrato de Strindberg feito por Munch em 1892

Por Kelvin Falcão Klein

Algumas décadas atrás, vários artistas e intelectuais se reuniram em uma mesma cidade e é possível dizer que esse encontro gerou uma onda de criatividade que reverbera até nossos dias. Ainda aproveitamos o...

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 12/06/2012 | 14 Comentários

A arrogância segundo os medíocres

Por Carmen Guerreiro

“Adorei o seu sapato”, disse uma amiga para mim certa vez.

“Legal, né? Eu comprei em uma feira de artesanato na Colômbia, achei super legal também”, eu respondi, de fato empolgada porque eu também adorava o sapato. Foi...

email twitter facebook imprimir
Posts mais antigos

Poesia //

Ver todas
sábado, 19/07/2014 | 5 Comentários

Estrada e pedra azul

Por Lívio Oliveira

Aprendo o tempo que me escapa lento
as f(r)ases trincadas da vida o meio-do-mundo vazio
enquanto dito os passos rijos aos meus pés
subindo a íngreme montanha da qual trarei a pedra
aquela pedra azul me guardará no eterno calado
eu sei: a minha vida e não sei porque flui e baila
aguardo e salto com os dentes os novos acontecimentos
que estão molhados sob o sol e secos sob a chuva
não me perturbo e sigo a cauda do cometa antigo
até onde me levar que eu esteja lá completo e são
e a coragem venha ao meu alcance na estrada
as botas suportem o trajeto duro ilhado
até o ponto em que eu não mais esteja.