Escreva, clique aqui. Usuário cadastrado clique aqui
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Nosso Apolo e nosso Dionísio

Jorge Luis Borges e Gabriel García Márquez: os dois escritores mais influentes e poderosos da América Latina e da língua espanhola.

aqui

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 03/07/2012 | Comentar

O grande e o pequeno

Por Paulo Roberto Pires

Dentre os convidados da décima Flip, Jonathan Franzen é autor do maior livro de ficção: 608 páginas. Alejandro Zambra (foto), do menor: 94 páginas. Liberdade traz, em seu título, grandiloquência. Bonsai, miniatura.

aqui

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 03/07/2012 | Comentar

Marvel Now – Editora vai fazer relançamento de principais séries

Títulos remodelados saem a partir de outubro – serão mais de 20.

aqui

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 03/07/2012 | 1 Comentário

Audaciosamente indo aonde os gêneros literários se encontram

Por Antonio Luiz M. C. Costa

Uma discussão recorrente na ficção científica, assim como entre os leitores de obras de fantasia, terror, policiais e similares é se um texto pode ser ao mesmo tempo um paradigma do gênero e uma obra respeitável como literatura sem...

email twitter facebook imprimir
terça-feira, 03/07/2012 | 1 Comentário

Por menos jornalismo

Por Everton Dantas
NO NOVO JORNAL

A título de esclarecimento geral é preciso lembrar a quem esqueceu (ou não sabe mesmo) que não pode ser chamado de jornalismo o fato de ter um blog, somente. Ou um twitter, aparentemente. Nem tão pouco pode ser caracterizada como tal...

email twitter facebook imprimir
Posts mais antigos

Poesia //

Ver todas
sábado, 19/04/2014 | Comentar

Abri abrigos

Por Lívio Oliveira

Abri portas abri corpos abri copos
abri latas abri livros abri dias abri pernas
toda a história entra contada entreaberta
entrecortes entre tantos tintos entredentes
nessa estória recortada recontada errada
que resvala no centro e nos tentos perdidos
signos ostentados de uma dor partida em dois
uma dor partida em dois e um só resto
do que fui ontem amparado pelo sólido ar
no nada rompido no nada estragado no nada
que abrigo que abrigo que abrigo.