Beba do Samba. Chama por todos os sambistas

No dia do Samba nossa homenagem aos 70 anos de Paulinho da Viola

Sambar é chorar de alegria / É sorrir de nostalgia / Dentro da melodia.
(Noel Rosa)

Paulinho da viola, Paulo César Batista de Faria é a síntese do que ha de melhor no samba. Representante direto da escola formada por Paulo da Portela, Sinhô, Wilson Batista, Geraldo Pereira, Ciro Monteiro e todos os grandes sambistas deste meu País: Branco, negro, mulato e cafuzo. .
Paulinho nasceu no bairro de Botafogo, RJ, no dia 12 de novembro de 1942. Vascaíno e Marceneiro. A simplicidade em pessoa. A música feita sem pressa e sem compromisso com o comercial. Sua música tem muita riqueza melódica e harmônica. E para aqueles que pensam que o samba vai acabar “só se for quando o dia clarear”

Filho do grande músico violonista Cesar Faria, que o acompanhava em shows memoráveis. “Meu pai sempre me dizia, meu filho tome cuidado, quando penso no futuro. Não esqueço meu passado.” Grande amante do chorinho e do samba sincopado Paulinho é a essência do que há de mais autentico no samba. Na década de 70 do século convidou o célebre conjunto Época de Ouro, onde tocava seu pai, para lhe acompanhar num show memorável, Sarau. Em Bebadachama (chamamento) de Paulinho a nossa oração a todos os grandes sambistas. Parabéns a todos eles no seu dia.

http://letras.mus.br/paulinho-da-viola/278688/

Um mestre do verso, de olhar destemido,
disse uma vez, com certa ironia :
“Se lágrima fosse de pedra
eu choraria”
Mas eu, Boca, como semrpe perdido
Bêbado de sambas e tantos sonhos
Choro a lágrima comum,
Que todos choram
Embora não tenha, nessas horas,
Saudade do passado, remorso
Ou mágoas menores
Meu choro, Boca,
Dolente, por questão de estilo,
É chula quase raiada
Solo espontâneo e rude
De um samba nunca terminado
Um rio de murmúrios da memória
De meus olhos, e quando aflora
Serve, antes de tudo,
Para aliviar o peso das palavras
Que ninguém é de pedra

Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadosamba
Meu bem
Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadachama
Também

Boca negra e rosa
Debochada e torta
Riso de cabrocha
Generosa
Beijo de paixão

Coração partido
Verso de improviso
Beba do martírio
Desta vida
Pelo coração
Bebadachama (chamamento)

Chama que o samba semeia
A luz de sua chama
A paixão vertendo ondas
Velhos mantras de aruanda
Chama por Cartola, chama
Por Candeia
Chama Paulo da Portela, chama,
Ventura, João da Gente e Claudionor
Chama por mano Heitor, chama
Ismael, Noel e Sinhô
Chama Pixinguinha, chama,
Donga e João da Baiana
Chama por Nonô
Chama Cyro Monteiro
Wilson e Geraldo Pereira
Monsueto, Zé com fome e Padeirinho
Chama Nelson Cavaquinho
Chama Ataulfo
Chama por Bide e Marçal
Chama, chama, chama
Buci, Raul e Arnô Cabegal
Chama por mestre Marçal
Silas, Osório e Aniceto
Chama mano Décio
Chama meu compadre Mauro Duarte
Jorge Mexeu e Geraldo Babão
Chama Alvaiade, Manacéa
E Chico Santana
E outros irmãos de samba
Chama, chama, chama

Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadosamba
Meu bem
Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadosamba
Bebadosamba, bebadachama
Também

João da Mata

Professor de Física da UFRN. Amante da Literatura, dos Livrose das Artes
Para referenciar no caso de citação do artigo
Costa, J. M.

Latest posts by João da Mata (see all)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *