Brasil, Brasis (1)

Manoel Onofre Jr.
CrônicaDestaque

Para escrever o livro “Portão de Embarque: Brasil, Brasis” (2008), visitei as capitais dos Estados (exceto Macapá, Boa Vista e Palmas) e outras cidades importantes do nosso País, perfazendo um roteiro de interesse cultural, histórico e turístico. Nesse – com licença da palavra – périplo, colhi e fixei em letra de forma inúmeras impressões, algumas das quais constituem pequenos quadros: retratos fragmentários desses Brasis plenos de encantos.

Vejamos, em parte, o roteiro.

MANAUS

O gaiola (nome que se dá ao barco fluvial) navega lentamente, a proa no amarelo-ocre do Solimões e a popa no marrom escuro do Rio Negro. Estamos no “Encontro das Águas”. Beleza.

*******

De volta a Manaus, a bem dizer embevecido com a paisagem ribeirinha, uma coisa, de modo especial, me encantou: o enxame de gaiolas junto ao porto. São os ônibus do rio. Eles me provocam a imaginação, me falam de lugares longínquos, perdidos na selva, que, um dia, quem sabe, hei de conhecer.

BELÉM

Percorrendo as alamedas sombreadas do Parque e Museu Emílio Goeldi vejo pequenos animais, que ali vivem soltos. Uma cutia pára e me espreita, os olhinhos muito vivos. Duas onças, enjauladas, é claro, soltam rugidos impressionantes. Aquele jacareaçu, imóvel, parece de pedra. E essa samaumeira, que se ergue diante de mim, é mais imponente que a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré. E – convenhamos – bem mais bela.

SÃO LUIS

São Luís antiga deixa-se abraçar por dois rios que, na maré baixa, expõem as vísceras em suas longas margens. Seus nomes ressumam poesia: Rio Anil e Rio Bacanga.

Uma ponte salta sobre o Anil, unindo o centro histórico ao bairro de São Francisco, caminho das praias e da cidade vertical, que se adensa, inteligentemente, longe do centro.

ALCÂNTARA

A baía de São Marcos semelha um pequeno mar, o agitado lençol d´água, de cor mortiça – mistura do verde oceânico com o ocre dos rios e igarapés – debruado ao longe pelas linhas verdes-cinzas dos montes e falésias.

Alcântara se anuncia nas torres brancas da Igreja do Carmo, no alto de um barranco verdejante.

A embarcação solta o berro, e logo mais atraca no pequeno porto ao pé da ladeira calçada com pedras irregulares. Alcântara me espera lá em cima, pequena e cheia de graça. É a menor cidade histórica do Brasil. Três ou quatro ruas e um largo.

FORTALEZA

Ao longe uma serra muito azul e serena, de um azul-cobalto, destaca-se sobre o azul mais claro do firmamento, na claridade da manhã. “Além, muito além daquela serra, que ainda azula no horizonte, nasceu Iracema”. Será aquela serra a mesma do romancista ? Creio que sim. E, se não é, fica sendo por licença poética.

FERNANDO DE NORONHA

A tarde caiu depressa, e um azul-cinza, lustroso, tomou conta das águas. Gaivotas acompanham o navio, passam em voos rasantes. Ao longe, Fernando de Noronha não é mais que uma pequena mancha escura. A lua cheia surge, e o navio deixa um rastro luminoso na solidão do alto mar.

RECIFE

O rio Capibaribe abraça a cidade. Já longe vai o tempo em que pulava das margens, agressivo, fazia enormes estragos. Domado, anda sem pressa, afagando os bairros por onde passa: Apipucos, Monteiro, Poço da Panela, Casa Forte, Torre, Jaqueira, Madalena…. E vem se exibir no centro da cidade, todo ornamentado de pontes….

PENEDO

O Velho Chico.

De um mirante sobre o penedo que dá nome à cidade, observo o rio. As águas esverdeadas passam lentas, processionais. O sol do meio-dia tira faíscas da crina das pequenas ondas. Vez por outra, ao longe, desliza uma canoa, quando não um pequeno barco, as velas de formato característico – amarelas, brancas – parecendo libélulas na água mansa. Todo o quadro esplende em cores.

Share:
Manoel Onofre Jr.

Comentários

1 comment

  1. Ruben G Nunes 13 março, 2018 at 17:37

    Onofre-velho desde a cormovimento do “encontro das águas” em Manaus até o cintilar das embarcações como libélulas coloridas esvoando no sol a pino em Penedo… é inegável que vc consegue criar um vídeo imaginário em sua literatura de viagem. Há um deslizar de cenas vivas… Parabéns,amigo!

Leave a reply