Poesia

Educação pela Serra

O encantamento da palavra
Não me veio com a literatura
Aulas de português
Ou textos linguísticos,
Mas, com os nomes da terra
Ao acaso saídos, líricos,
Vindos do centro
Do chão para as alturas
Onde os olhos vêem e
Não vêem…
Especialmente dois:
Serra da Mantiqueira
Serra do Mar

Admiração que não levou
Em conta o colossal maciço,
Seu espinhaço, picos,
Biomas, nascentes de rios,
Nem o vivaz da onça pintada
Ou do mico leão dourado.
Quem sabe, talvez, o espanto
Pelas lonjuras onde eu as
Supunha…

É provável que nem imaginasse o
Que se escondia
Na sua misteriosa silhueta verde.
Encantavam-me seus nomes
Simplesmente
Nus como córregos sinuosos
De uma beleza e nativa sonoridade
A se repetirem
Como versos admirados
(ou canto da ave mais entocada):
Serra do Mar
Serra da Mantiqueira.

Quase assim a primeira poesia
Que a mim chegou inteira
Num livro de geografia
E que perdura suspensa
Na sala de aula
Do colégio salesiano são josé
Até hoje

Share:

Comentários

Leave a reply