Agenda

Encontro de Rabecas e Rabequeiros acontece nesta quarta-feira (19)

rabeca

Na próxima quarta-feira (19), o projeto Conexão Felipe Camarão realiza o Encontro de Rabecas e Rabequeiros: A Identidade da Rabeca na Contemporaneidade.

Será das 09h às 12h, na sede do próprio projeto, no bairro da zona Oeste de Natal.

O evento faz parte do Conexão Brasil 2016 Culturas e Redes – De Mário de Andrade a Felipe Camarão.

A ação é voltada para a preservação da cultura potiguar.

Através de oficinas, são apresentadas curiosidades sobre o instrumento e como se aprende a tocá-lo.

Entre os convidados do Conexão Felipe Camarão estão Tiquinha Rodrigues e Caio Padilha, referências na rabeca.

O projeto Patrocinado pela Cosern e Governo do Estado – Fundação José Augusto através da Lei Estadual Câmara Cascudo,

História

A Rabeca é um instrumento de origem árabe, utilizado desde a Idade Média.

Instrumento de arco, que soa por fricção, é a espécie precursora do violino, de feitura popular.

É visto como uma versão mais rústica do violino.

Apesar da semelhança entre os dois, a rabeca se distingue do violino em vários aspectos, da construção ao modo de tocar.

Sem padrão universal, como o violino, ela tem variações no tamanho, formato, número de cordas, afinações utilizadas e materiais empregados em sua confecção.

rabeca-2Encontro de Rabecas e Rabequeiros

Dia 19 de outubro

Às 9h

Local: Sede do Conexão Felipe Camarão (Av. Maristela Alves, 579 A – Felipe Camarão).

Share:

Comentários

1 comment

  1. Roberto Damasceno 19 outubro, 2016 at 21:09

    A origem da rabeca não é Árabe. A origem é incerta e só existem especulações a respeito. Existem evidências da presença da rabeca na antiga Suméria (5500 e 4 000 a.C), Mongólia e China antigos também, em épocas em que o povo Árabe ainda não sonhava em existir como nação.

    Algo certo é que os Árabes trouxeram a rabeca para Europa através dos Mouros do Norte da África para o Sul de Espanha e Portugal, e que os Turcos trouxeram para Grécia e Bálcãs através da conquista de Constantinopla.

Leave a reply