Música

3 Cohens: a Família Soprano israelense

3 cohens.3

Banda 3 Cohens reúne talento dos irmãos Avishai, Anat e Yuval; em Family (2011), músicos de Tel-Aviv, radicados em Nova York, gravaram dez temas, entre próprios e standards do jazz, que revelam o motivo de tanta reverencia na cena jazzística mundial.

Em janeiro de 2012, a revista Downbeat, a Bíblia Sagrada do jazz há 80 anos, estampou em sua capa um trio de irmãos israelenses com a seguinte manchete: A Família Conquista Tudo.

Já o título da matéria chamava por Amor Incondicional.

Na esteira do quarto disco de estúdio dos músicos de Tel-Aviv, a publicação consagrou o que a cena jazzística europeia grita desde o começo da década passada: a química entre a saxofonista tenor e clarinetista Anat; o trompetista Avishai (não confundir com o também genial contrabaixista); e o saxofonista soprano Yuval.

O som é viciante.

Na elite do jazz atual

A consanguinidade contribuiu na união de percepções, de terem as mesmas influências?

Isso foi intensificado por estudos no Thelma Yalin High School for the Arts e no The Jaffa Music Conservatory, instituições responsáveis pelo início de parcela significativa dos instrumentistas israelenses contemporâneos.

Anat Cohen

Anat Cohen tem 36 anos e sólida formação musical e se destaca no trio de irmãos; ela figura em várias listas como uma das melhores clarinetistas do momento também pela carreira-solo.

Já no afamado Berklee College of Music, de Boston, Estados Unidos, eles completaram a formação.

De lá, partiram para Nova York, palco principal do jazz na América do Norte, onde residem nos últimos 17 anos.

A reputação como uma das bandas mais destacadas na atualidade foi forjada na cidade mais importante da América do Norte.

Do fértil ambiente musical israelense, o 3 Cohens saiu para crescer na terra natal do gênero criado nos pantanais da Louisiana.

Em pouco tempo, a conquista do relevante concurso do Instituto Thelonious Monk chamaria a atenção da crítica e do público.

Detalhe: eles já tocaram no Brasil três vezes.

A trinca é vista com frequência em listas de melhores instrumentistas na mídia especializada – sobretudo a clarinetista Anat, dona de uma sólida carreira solo.

Disco é coeso e melódico

Em Family, surgem cinco faixas originais e cinco releituras de temas clássicos.

Tem Duke Ellington, com The mooche, Louis Armstrong, com Do you know what it means to miss New Orleans?, a mítica Original Dixieland Jass Band, com Tiger rag, Count Basie, com Roll’ em Pete, e o standard On the sunny side of the street, gravado por meio mundo, mas consagrado por Dizzy Gillespie e Lionel Hampton.

O pacote compõe uma peça coesa, melódica, rica em alternâncias rítmicas.

3 cohens.2Das composições próprias, destaco a imponente Shufla de shufla e With the soul of the greatest of them all, quase uma ode a Charles Mingus.

Conhecer o 3 Cohens é garantia de qualidade acima da média e diversão com a turma que brinca com a virtuosidade.

A variação nos sopros do trio tem um quê de nostálgico, como um grande disco da era de ouro do jazz, só agora encontrado.

Duas faixas são cantadas por Jon Hendricks, após contato feito ainda no Brasil, para a parceria que sobra em vigor e espontaneidade.

Site oficial: www.3cohens.com

Share:

Comentários

Leave a reply