Geral

Joycianas

Há vinte e seis anos é comemorado o Bloomsday em Natal. Participo das comemorações desde a prima volta como ouvinte, conferencista, curador e, sobretudo, como entusiasta desse grande-dia em homenagem a James Joyce. Para comemorar o Bloomsday 2012, reuni alguns textos escritos durante esse tempo. Onde misturo a Irlanda com Natal e vivo um John`s day em Natal.

Texto completo em PDF: aqui

Share:
João da Mata

Comentários

9 comments

  1. Jairo Lima 14 junho, 2012 at 15:24

    Esta foto sempre me encantou por sua extremada falsificação. Se o marketing e a propaganda, em sua função de criar irrealidades, precisassem de um ícone supremo, aí está ele.
    Mas só agora reparei que a famosa loura, na verdade, está “lendo” o colofão do livro.
    kkkkkkkkkkkkkkk.

  2. João da Mata 14 junho, 2012 at 15:33

    Amigo Jairo, muito me encanta o seu comentário. Acho que ela está lendo o final do livro, onde tem o famoso monólogo, lido por muitos que não coneguem avançar no cipoal joyciano. Ficaria grato se o amigo lesse o texto. Abração e até o dia 30.

  3. Jairo Lima 14 junho, 2012 at 16:24

    Desculpe, João, mas não li o seu texto e acho que a foto não é obra sua, portanto vc não tem nada que tomar as dores do fotógrafo nem dos seus produtores.
    Ôxe, cara, fica peixe.

  4. João da Mata 14 junho, 2012 at 16:28

    Amigo, adoro essa foto e dessa vez enviei o texto com a foto escolhida.
    Comprei um livro da Deusa com a sua Biblioteca e essa bela foto. Depois te digo o que Marylin lia.

  5. Jairo Lima 14 junho, 2012 at 16:34

    João, fui um pouco brusco no meu último comentário porque entendi erroneamente o seu. Desculpa aí, vai.

  6. Jarbas Martins 15 junho, 2012 at 08:05

    é menos danoso o escárnio de um inimigo inteligente do que o desastrado elogio de um tolo

  7. Jarbas Martins 15 junho, 2012 at 09:12

    esse meu desaforismo aí de cima tá bombando no feicebuque. vejamos este: esculpir desaforismos é fácil: basta um tom meio irado e meia dose de verdade.

  8. Maria Aparecida Anunciata Bacci 15 junho, 2017 at 23:13

    Belo texto, realmente a leitura de Joyce é complexa, mas sua obra é espetacular.Parabéns Prof. João da Mata especialmente pelo trecho ” III- Uma Natal Joyciana”, tem muita força e sensibilidade.

Leave a reply