LiteraturaMais

Livro de poemas de Jorge Fernandes: 90 anos

Em 2017 comemora-se o aniversário de noventa anos do “Livro de Poemas de Jorge Fernandes”, obra modernista pioneira no Rio Grande do Norte. Publicada em 1927, trazia exclusivamente versos livres, sem rima e sem métrica, dentro das novas propostas, o que foi quase que um grito revolucionário em nossa Província Literária, dominada até então pelos poetas românticos e parnasianos. Jorge Fernandes engajou-se no Movimento Modernista, a nível nacional, por meio da colaboração em revistas como “Terra Roxa” e “Revista de Antropofagia”

Ao prefaciar o “Livro de Poemas de Jorge Fernandes”, Câmara Cascudo, grande incentivador e amigo de Jorge, afirmou: “As maiores simpatias do poeta vão para Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Raul Bopp”, todos modernistas.

Jorge Fernandes conheceu pessoalmente Manuel Bandeira e Mário de Andrade. Com este último manteve correspondência, da qual se salvou apenas uma carta, transcrita na obra “Dois Poetas do Nordeste”. Nela vê-se a opinião do poeta paulista sobre uns poemas de Jorge: “Tem neles um certo ar brusco, meio selvagem, meio ríspido e no entanto coa de tudo uma doçura e um carinho gostoso. Tudo isso eu tenho apreciado e me tem dado vontade de ler mais coisas suas”. Já Manuel Bandeira, em carta a Veríssimo de Melo disse: “Cumpre promover uma reedição do Livro de Poemas, porque Jorge Fernandes falou em muitos dos seus poemas com um timbre que é só dele, falou de coisas do Brasil com um sabor que é dó dele: aquele seu livro deve estar na biblioteca de todos os brasileiros. Dói-me dizer que não o possuo”. A reedição sugerida por Bandeira viria oito anos depois, com introdução e notas do próprio Veríssimo, através da Fundação José Augusto.

Jorge Fernandes viveu sempre em Natal, encantando-se com as paisagens e a vida sócio-cultural da cidade, mas também se inspirou no sertão, que ele conheceu como viajante. Natal do seu tempo era uma cidadezinha provinciana, acanhada. Mário de Andrade a descreve em notas de viagem, depois reunidas em livro (O Turista Aprendiz, São Paulo, 1976).

No meio cultural, fazia-se intensa atividade do teatro amadorístico, em que Jorge se integrava, aliás, desde os fins da década anterior, como autor de revistas e peças várias

Depois do “Livro de Poemas….”, o poeta não publica nenhum outro livro e vai distribuindo a sua pequena produção poética em periódicos. Quem primeiro estudou sua vida e obra foi Veríssimo de Melo, no livro “Dois Poetas do Nordeste”, em que também focaliza o poeta pernambucano Ascenso Ferreira. Depois, Newton Navarro tomaria Jorge Fernandes como patrono da cadeira 37 da Academia Norte-rio-grandense de Letras. Mas, na verdade, foi Lenine Pinto quem redescobriu o poeta numa entrevista para o “Diário de Pernambuco’, no final dos anos 40 . Em 1970 , Veríssimo de Melo reuniu na 2ª edição do “Livro de Poemas….” a produção dispersa do nosso pioneiro modernista. Alguns escritores, nos anos seguintes, dedicaram-lhe ensaios, como, por exemplo, Francisco das Chagas Pereira, Gumercindo Saraiva, Manoel Onofre Jr. e Newton Navarro, que fez uma observação interessante, dizendo-o precursor do Concretismo, com o poema “Rede”.

Contemporaneamente, a poesia de Jorge Fernandes chegaria à Universidade Federal, através do pesquisador e escritor, Prof. Dr. Humberto Hermenegildo de Araújo. Registre-se aqui, aliás, que Hermenegildo foi recentemente empossado na Academia Norte-rio-grandense de Letras, em cerimônia que contou com a presença de inúmeros intelectuais, escritores, professores e alunos, tendo sido aplaudido de pé, ao final do seu discurso.

O trabalho de análise e divulgação da obra de Jorge Fernandes, realizado por Humberto Hermenegildo, na UFRN, sobretudo com os livros “Modernismo: Anos 20 no Rio Grande do Norte”, “O Lirismo nos Quintais Pobres” e “Velhos Escritos de Jorge Fernandes”, abriu novas perspectivas e motivou toda uma geração a ler e estudar o “Livro de Poemas de Jorge Fernandes”

A data comemorativa da obra de Jorge Fernandes será celebrada pelo Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-rio-grandenses (NCCEN), com um evento denominado “Jorge Fernandes” : 90 Anos de Poesia”, que terá lugar no auditório do Instituto Ágora, da UFRN, Campus Natal Central. Na programação dos dias 26 e 27 do corrente mês, teremos a participação de autoridades no assunto, como o próprio Humberto Hermenegildo, Tarcísio Gurgel, Derivaldo dos Santos, José Luiz Ferreira, Alexandre Alves, dentre outros especialistas .

Share:
Thiago Gonzaga

Comentários

Leave a reply