Geral

Mediocre

Ser medíocre é simples, eu sei disso o tempo todo. Um sujeito sem ganas que somente se agarra na esperança é um medíocre. Um meio tom. Cinza. Cinza claro que não dá tesão. Que vê o mundo de forma periférica e se rende às mais ignóbeis ações alheias e ainda vai ao dicionário para ter certeza do que significa ignóbil. Medíocre: o que está entre o grande e o pequeno, o bom e o mau. Café com leite. Frágil. Nem poeta, nem jornalista. Nem aforista, nem blogueiro. Medíocre simplesmente e convicto de que nada será para sempre.

Como se conhece um medíocre? Olha-se no espelho para se saber quem é. Procura no currículo algo significante e não encontra nada além de um curso de datilografia. Um 10 na datilografia não é um 10 de verdade, é apenas dois números datilografados. Ruim para o todo o universo. O homem que olha no espelho e só vê o outro não merece o cosmos, está emprestado como uma pedra de calçar pneus. Só existe para aquilo. Imprestável para outro fim.

O medíocre é um misto de ímpio e religioso. Agnóstico. Ateu cagão. Dependente do outro até para comer, para ir ao banco e para decidir o que vai ser quando crescer. O medíocre morre de medo de se impor e descobrir lá na frente ser incapaz de tomar as rédeas da própria vida. É melancólico, triste, suicida e metido a moralista, quando no fundo não passa de um hipócrita cheio de máculas e insucessos. Sem falar que é péssimo com o português e depende, o tempo todo, do corretor ortográfico e dos dicionários da língua e de sinônimos.

O pior dos medíocres é o que se reconhece assim porque, além de tudo isso, ainda se convence de que, se não vai dar em nada, deixa como está. Parece com aquele papo de um romance que nunca escreverei em que a mulher cansada de sofrer responde: “estou insatisfeita, mas passa, sempre passou”. Os hipócritas são como as mulheres do passado que não sabiam sua força, como os bois de carroça, os cachorros surrados, ou a meningite meningocócica que mesmo sendo invisível a olho nu é capaz de dizimar os homens, ainda assim se esconde no microcosmo e não cumpre sua missão. A meningite é tão medíocre quanto.

A mediocridade faz os planos Bs, as casas frágeis, os carros sem ar condicionado. Faz pesquisas óbvias e aceita tudo como vira-latas. Perde horas na televisão fazendo crítica sobre a sua nação e sonha em nascer noutro canto, ser outra pessoa, embora os planos lhe leve para a mesma direção atual. O mundo forma os homens e sim, os produtos do meio, mas os homens não se tornam medíocres, eles nascem assim.

Share:

Comentários

2 comments

  1. Emiliano Vargas 16 outubro, 2013 at 21:41

    Os Medíocres são os que passam o dia se olhando no celular, são os que repetem o que a televisão os ensinam, são os que votam por dinheiro, ou por que o candidato é bonito, são os que querem obter vantagem em tudo, e não passam de vermes nas suas ambições, são os que apoiam os que roubam os bens públicos, por que eles também poderiam estar roubando, é a opinião pública que não discerne o que são os interesses dos plutocratas, dos seus, são todos os inocentes uteis, são os que acham que com uma besteira qualquer, estão contribuindo para o nosso belo quadro social, sou eu que me preocupo com eles, ao invés de me fixar no diamante preso no meu umbigo.

Leave a reply