Crônicas e ArtigosPoesia

Nina Simone Visita a Família

mina

Freou o carro, demorou um largo momento para abrir a porta,
e lentamente desceu.
Ficou ali parada. Nem o olhar desviava-se da casa da mãe,
zona rural de Tryon, Carolina do Norte.
As pessoas chegando,
cercando, abraçando-a,
em estreitados e demorados apertos,
a emoção reinante, o suspense,
como se estivessem dentro do espanto.
Meu Deus, dizia. Repetia.
Acho que não vou resistir.
Quanta coisa perdi, senhor!
Minha mãe, vem!
Irmão, chega!
Quanto tempo? Vinte anos…
Quanta coisa perdi
Ah, eu quero morrer!

[Morreu anos depois, conforme programara. ‘Morrerei aos 70 anos, porque depois só há dor’. Em Carry-le-Rouet, Provence – Côte d’Azur, França] ‎

Share:

Comentários

Leave a reply