AgendaLiteratura

O universo da literatura ao alcance de crianças e adolescentes

Criança escrevendo

A Noite

Não sei nem o que falar nem por onde começar, pois era noite ou quase isso. Estava escuro e sombrio naquela quarto apertado. Eu estava deitado em uma cama, ou, para ser sincero, embaixo dela. Não sei se estava com mais medo de estar na escuridão do quarto ou do que havia lá fora, atrás daquela porta, depois das paredes robustas.

Dentro do pequeno quarto, eu me sentia tão grande em alguns momentos… mas se eu me sentia tão grande, por que o medo de ir lá fora, naquele mundo tão, mas tão pequeno? Se o mundo é tão pequeno, por que esse medo é tão grande?

 

O trecho transcrito acima é de um dos textos que compõem o livro Contos Natalenses (Editora Caravela Selo Cultural), feito por crianças e adolescentes dos sétimos, oitavos e nonos anos da Escola Municipal Juvenal Lamartine, que será lançado na próxima quarta-feira, 26, às 15h30, nana Rua Presidente Sarmento, 1156, no Alecrim.

A obra é organizada pelo editor José Correia Torres Neto, e os educadores Miriam Flávia Medeiros de Araújo, Gilmara Chaves Valentim Silva e José Alves da Silva. Ao todo são 75 “contos” escritos por alunos daquela escola, que foram elaborados após eles terem recebido oficinas sobre o gênero conto, nas quais conheceram diversos autores potiguares.

O projeto denominado 1ª Oficina Natalense de Leitura e Produção de Contos, conta com o financiamento do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC), da Prefeitura de Natal, através da Secretaria Municipal de Cultura – Fundação Capitania das Artes. A distribuição será gratuita entre os alunos, parte vai para a Prefeitura e demais bibliotecas da cidade e do Estado.

Imaginar uma criança do Ensino Fundamental de escola pública devorando livros já é por si só uma cena inusitada. Ter a capacidade de interpretar o que lê, assim como colocar para fora seus sentimentos e desenhá-los dentro de uma narrativa que possa fazer algum sentido para o outro então, um sonho.

Sonho que se tornou realidade para essas crianças da Escola Juvenal Lamartine, graças a esse trabalho. “Uma das tarefas da escola é formar leitores”, diz Miriam Flávia, uma das oficineiras, complementando que juntamente a esse papel, soma-se um outro desafio do cenário educacional atual, que é fazer o aluno contemporâneo, rodeado de tanta tecnologia, sentir interesse de ler e produzir escritos. É ela quem explica que nas oficinas foi informado como é a estrutura de um conto, suas principais características, assim como também foram apresentados aos alunos autores da região tais como, Damião Gomes (Coração de Pedra); Carol Vasconcelos (A filha de Gaia), Ana Célia Cavalcante (Crônicas de Nova York), Miguel Josino (Um aprendiz pela vida), dentre outros.

“Hoje os alunos têm acesso a várias formas de texto e inúmeros meios de leitura, por meio de novas tecnologias. A leitura de um livro está ao seu alcance com um simples clique no computador, tablet ou celular. Mas, mesmo com toda essa facilidade, ainda é muito grande o número de alunos que nunca leram um livro, seja ele virtual ou material”, diz Gilmara Valentim, professora de Português da escola que acolheu as oficinas do projeto. “A perspectiva de ter seus textos publicados num livro, de ver suas histórias ao alcance de outras pessoas, colegas e familiares fez com que os alunos se sentissem mais envolvidos com o processo de produção textual, melhorando até mesmo a atenção em sala de aula”, reconhece Gilmara.

Essa iniciativa não é a primeira nesse sentido, proposta pelo editor José Correia. Em 2013, algo semelhante aconteceu em quatro cidades do interior com baixo IDH, onde foram feitas oficinas e lançado também um livro. Em 2015, o projeto foi aprovado pela Prefeitura e Miriam Flávia e José Alves se encarregaram de contatar a Escola em Natal e realizar o projeto. Amante confesso da leitura, literatura e do objeto livro, o editor vê nesses textos dessas crianças e adolescentes, muitas vezes ingênuos e ainda crus, pequenas possibilidades de encantamento com as letras. Como se cada página dessas fossem pequenos vagalumes, e que juntas, são capazes de iluminar a “noite” escura do silêncio e encaminhar o olhar para a descoberta do prazer na leitura e na libertação de narrar suas próprias histórias.

 

Livro Contos Natalenses

Share:

Comentários

Leave a reply