Rauchbier: uma cerveja nascida por acidente

Breno Machado
GastronomiaMais

Um incêndio em uma antiga cervejaria alemã criou uma espécie de malte com gosto de fumaça (Rauch, em alemão), instantâneo sucesso entre os bebedores de lager, sobretudo na região de Bamberg, onde desde o século XV registra uma cervejaria famosa por suas receitas

Imagine, confrade, que você tenha uma atividade familiar de séculos. E, de repente, a empresa é atingida por um incêndio. A imagem das chamas lambendo instalações, fumaça atingindo o estoque, ter que descobrir como ficaram os produtos depois que o fogo acaba.

Decerto que o cenário seria de tragédia. É claro, se não fosse o início de uma das maiores invenções do mundo cervejeiro: o malte defumado – que segundo a lenda, teve origem a partir de um incêndio que assolou uma cervejaria.

Para pagar seus boletos, o pobre cervejeiro da história foi obrigado a produzir com maltes que sobraram, mesmo com gosto de fumaça e madeira queimada. Surgia a Rauchbier.

A mancada virou sucesso

Pois é, confrade. E não é que a receita fez sucesso entre os alemães? O malte criado com o acidente na lendária cervejaria e seu gosto de fumaça (em alemão, “rauch”) caiu nas graças dos bebedores de lager – sobretudo em Bamberg, onde desde o século XV se tem registro de uma cervejaria famosa pelas suas receitas.

Com intenção de reproduzir o mesmo resultado do incêndio acidental, o processo foi sendo dominado, com a secagem dos grãos de cevada maltada submetidos à fumaça de um forno a lenha de faia aberto.

Um dos cervejeiros mais famosos, devido a um acidente, era manco (em alemão, “schlenkernden”) e seu andar claudicante era tão notório quanto sua Rauchbier. Tanto é que a cervejaria ganhou o apelido de Schlenkerla (algo como “O Lugar do Manco”).

Mostrando que os alemães podem ter tanto talento para a trolagem como nós, brasileiros, o nome pegou. Passadas seis gerações de mestres-cervejeiros da família Trum, a cerveja permanece com o nome – o rótulo homenageia o patrono, com a reprodução de um homem manco em um selo de cera.

Mas, calma lá, fumaça e madeira queimada? Exato! E mesmo com o conceito parecendo insólito a princípio (acredite, confrade, eu tive MUITA resistência em provar minha primeira Rauchbier), as cervejas defumadas são um universo riquíssimo a ser explorado.

O estranhamento ao primeiro gole fará de você um apaixonado pelo estilo – ou inimigo pelo resto da vida.

Best-Black-MaltMas, calma lá: fumaça e madeira queimada?

Embora exista um grande leque de variedades entre as Aecht Schlenkerla Rauchbier (em português, seria algo como “Rauchbier Original do Lugar do Manco”), recomendo que se inicie degustando a Märzen, a variedade mais leve, se é que podemos chamar de leve uma cerveja mais parecida com bacon engarrafado, desde o primeiro contato olfativo.

O gole começa com a típica sensação de uma lager alemã: base maltada, lúpulo discreto, final seco. Mas quando o defumado chega às suas papilas, confrade, ele chega chegando.

Aí você vai entender a real dimensão de “fumaça e madeira queimada” que estamos falando tanto. E será nesse momento que você decidirá entre entregar-se ao próximo gole ou entregar a caneca quase cheia ao colega mais próximo.

Breno_

Cerveja de base maltada, lúpulo discreto e final seco.

Notas sobre a Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen

Acho que o confrade já entendeu de qual lado eu fiquei quando provei, depois de muita luta, uma Rauchbier.

E quando fui apresentado à Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen, ela tornou-se uma das minhas cervejas alemãs favoritas, mesmo que eu tenha demorado um pouco para pegar a pronúncia correta.

Ein prosit!

Já conhece a Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen? Ficou com vontade de conhecer, ou provou depois de ler nossa coluna? Tem dicas de lugares para encontrá-la, ou de alguma harmonização interessante? Não deixe de postar seu comentário neste nosso espaço de divulgação da cultura cervejeira.

Breno_rauchbier

E então, que cerveja é essa?

Nome: Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen

Cervejaria: Brauerei Heller-Trum

País de origem: Alemanha

Estilo: Rauchbier

Álcool: 5,1% ABV

Harmonização: Feijoada, salsichas alemãs, queijo parmesão.

Temperatura ideal: 5 -7 °C

Copo: Caneca; Pint

Média de preço: R$ 35 – 45 (Garrafa de 500 ml)

Share:
Breno Machado

Comentários

Leave a reply