Geral

Sobre excessos e faltas

vazio

Eu desabafo, pra não desabar.
Solto o verbo pra não sufocar.
Sem chão, sem eira, nem beira, nem ar.
Escrevo pra amenizar os excessos e faltas.
Escrever é oxigenar os sentimentos antes que eles virem doenças.
É como bombear sangue pra um coração que tá quase parando pelos excessos e faltas.
Escrevo pra quem sabe diminuir os excessos e suprir as faltas.
Sobre excessos e faltas.
Às vezes apenas Falta.
Quase sempre o excesso vira falta.
Falta espaço pra pulsar.
Falta sangue na vêia que lateja por não suportar.
Falta estancar o sangramento da alma.
Já sonhou demais, já sangrou demais.
Transbordou, se cansou.
Acabou bem antes de acabar.
Às vezes o excesso é tanto,
que vira tudo, inclusive falta.
Vira qualquer coisa, menos preenchimento.
No fim de todo excesso, só sobra a falta.
Falta dos excessos contidos.
Falta de amor e de ouvidos.
Falta de palavras que não me acusem.
Falta um pouco mais de intensidade.
Um pouco mais de emoção, de doação nas relações interpessoais.
Falta ao ser humano agir com a pureza de um animal.
Falta se acostumar com o que te falta, e ainda dar graças por isso.
Falta opinião, caneta, papel e tinta.
Falta o real do pão que antes dava pra comprar.
Antes do aumento, do alimento, do eterno descontentamento da falta.
Falta tanto, tanta coisa.
Que nem se sabe o quê.
Falta mesmo é coragem pra viver.
Falta amar sem esmorecer.
Às vezes falta um pouco, e um pouco mais.
Às vezes falta ser capaz de enxergar o que te sobra, ao invés do que te falta.
Às vezes falta tão pouco.
O vazio, o tédio, o oco.
Falta dinheiro pra fazer o reboco.
Falta dinheiro, só sobra esforço.
Falta comer, vestir, e fazer ninho de passarinho.
Em qualquer canto, em qualquer lugar.
Falta aprender a cair e ligeiramente levantar, sem deixar que o outro perceba.
Viver, seguir em frente e se adaptar.
A toda e qualquer falta que a vida te traga
Falta um pouco mais de poesia, pra enfeitar os dias secos da rotina de trabalho.
Falta deixar de trabalhar por necessidade, e começar a fazer o que gosta.
Falta trabalhar com amor e por amor.
Falta deixar de encarar a rotina como sacrifício e aprender a lição.
Falta a reciprocidade e a alegria pura e simples do ser, independente do ter.
Falta um monte de ter e sobra um monte de querer junto.
Falta atitude é autenticidade nas amizades.
Falta uma fala consciente.
Falta silêncio pra ouvir a própria mente.
Falta gritar, chorar e pôr pra fora.
Essa dor que por dentro te devora.
Falta escrever pra estancar o ferimento que insiste em sangrar.
A falta ainda é sempre grande e tamanha.
Falta um gole a mais de vida pra acordar.
Falta se libertar da mordaça.
Falta voltar a sonhar.
Falta concretizar uma porrada de coisa ainda.
Será que mesmo faltando tanto, vai dar tempo?
De suprir todas as faltas, consertar as falhas, suprir as urgências?
A falta que vira quase a clemência por algo mais.
Falta libertar a alma.
Florescer, se encantar.
Deixar ela voar…
Pois no cárcere da mente, onde a razão se mantém ausente, não há esperança, nem resposta, só falta.
E diante da falta, nada mais há.
A não ser a sede, e a vontade de se saciar.
Falta respirar…
Nem que seja bem fundo.
E rezar pra o mundo não te contaminar com todas essas faltas.
E quem sabe até ser o que sobra é transborda na vida de alguém.
Prenda o choro e disfarce que essa falta de ar passa.
Prefiro o excesso pra suprir a falta.
Excesso te dá imunidade contra falta.
Ou quem sabe você se encha tanto de tudo, que nem te sobre tempo e espaço pra sentir nenhuma falta.
A constante falta de alguma coisa é um câncer corroendo as entranhas do mundo.
Cada um trancado no seu próprio mundo, sentindo a sua própria falta.
Sem se preocupar com a falta que faz falta na vida do outro.
Sem notar que a vida é repleta de vazios e de faltas bem maiores que as suas.
Cada falta e cada excesso têm exatamente o tamanho da dor que causam.
Umas ferem, se alojam e se alastram como doenças malignas.
Umas faltas te curam, outras te adoecem.
A falta que consome a terra.
Como uma gangrena.
A falta da certeza do amanhã que vai chegar.
Falta mais fé e esperança.
Falta tempo pra se aproveitar.
Falta tanto…
Que a única coisa que só sobra é a falta.
Falta inclusive
um canto seguro pra essa alma repousar.

Share:

Comentários

Leave a reply