LiteraturaMais

Três escritores da nova geração

Continuamos a enfocar aspectos da vida e da obra de alguns escritores surgidos após a década de 2000 na cena literária do Rio Grande do Norte.

Destacamos hoje três nomes em franca ascensão: Oreny Júnior, Leocy Saraiva e Damião Gomes (foto). O natalense Oreny Júnior tem por berço o bairro do Alecrim onde viveu até os 7 anos de idade, em seguida transferiu-se para o bairro Cidade da Esperança, e lá se criou entre as dunas, fazendo dos morros “tobogãs”, pulando barreiras, jogando bola nos campos de várzeas, já escrevendo poesias e continuou a escrevê-las até os dias de hoje. Colaborador antigo do Substantivo Plural, blog cultural liderado pelo jornalista Tácito Costa, que acolhe muitos escritores da terra potiguar. O trabalho do poeta já era conhecido dos leitores do blog e por quem o acompanhava nas redes sociais.

Estreou em livro impresso, ano passado, com “Fórceps”, poemas. “O nome fórceps, pra mim, foi por causa do método pelo qual eu nasci, a fórceps, puxado a ferro. Eu ouvia minha mãe falar isso, também a diferença do parto natural, a ambígua forma do nascer, o elemento mecânico ferindo a tão sangrada carne. Toda produção é um processo de parto, dói, machuca”, diz o autor.

Oreny Júnior é um amante da literatura potiguar. Está, inclusive, montando acervo de autores locais, para estudos e pesquisas, o qual já conta com mais de dois mil volumes . E um segundo livro de sua autoria será publicado agora em outubro, dia 19, “Metamoformas”, editado pela CJA Edições, com uma bela capa do poeta visual Avelino de Araújo.

Outro autor, Damião Gomes, é um daqueles casos curiosos de amor à literatura. Farmacêutico de formação, atua no Hospital Walfredo Gurgel, e em meio ao caos do hospital escreve suas histórias, por incrível que pareça , sem relação alguma com o ambiente de trabalho. Autor da novela “O Futurista”, Damião Gomes, motivou-se a estrear nas letras, depois de ouvir do escritor Nelson Patriota, um dos nossos maiores críticos literários, que o livro estava pronto para vir a público. Após a primeira experiência, Damião, alçou maiores voos e publicou “Coração de Pedra”, contos (2016), além de ter participado de vários concursos literários pelo país. Damião Gomes segue produzindo intensamente sua literatura, e atuando além de sua área profissional, proferindo palestras em escolas de várias cidades, sobre a importância da leitura, da literatura e dos livros.

Por último, mas não menos importante, destacamos Leocy Saraiva, poeta e escritora, autora de dois livros de poemas, “Cantos e Espantos” e “Versos Temporais”. Assistente Social, Leocy é estudante do último período do curso de Letras da UFRN. Participando ativamente da vida literária natalense, publica seus textos no blog pessoal “Vestígios” (http:/ vestígios.blogspot.com) e em outros veículos culturais, bem como em jornais e na revista virtual Kukukaya, comandada pelo escritor Alfredo Neves.

Dentro da mesma linhagem de uma Auta de Souza, de uma Myriam Coeli, a poeta (poetisa dizia-se outrora) Leocy Saraiva é um bom exemplo da poesia de alta qualidade produzida por mulher no Rio Grande do Norte, a qual, aliás, tornou-se característica da nossa literatura.

Sobre “Versos Temporais”; o mais recente livro de Leocy, disse outro jovem escritor contemporâneo, Guilherme Henrique Cavalcante:
“…Os versos de Leocy Saraiva fogem dos lugares comuns, da fácil comoção. Fazem caminho inverso, ocultam-se sob véus que, despudoradamente, nos convidam a descobrir e buscar deles a nudez frontal. Seus versos nos atingem como um desacato. Disparam: “Enveneno em mim as criações / de uma vida ingrata” e continuam, em outro poema, “não tenho tempo / me atraso para o depois, / cancelo o que é agora” ou sussurram “um menino segue / habitando o tempo. / E me guia:”.

Share:
Thiago Gonzaga

Comentários

Leave a reply