João da Mata Costa

Tácito Costa
DestaquePoesiaPoetas e Poesias

João da Mata Costa (Damata Costa) é professor de Física da UFRN há mais de 40 anos. Bibliófilo, escritor e poeta, escreve em jornais, revistas e blogs da capital há bastante tempo. É colunista do Substantivo Plural desde o seu início. No facebook mantém as páginas https://www.facebook.com/QuixoteComRosas/ e https://www.facebook.com/DamataCostaJoao/ para divulgar suas publicações. Com poemas publicados no Livro “Sangria e outros poemas” provenientes do Concurso Literário Américo de Oliveira Costa, além de outras publicações. Colecionador e amante das artes, estudioso de Camões, Joyce, Cervantes e da Cultura Popular, comemora desde 2002 o Dia Mundial do Livro e o Dia de Camões. Participante ativo das comemorações do bloomsday em Natal, escreveu um ensaio sobre Joyce no Jornal O Galo, de Julho de 2016. Na Revista da ANL do último trimestre de 2016 publicou um ensaio sobre Câmara Cascudo.

*********

Testamento

Umas vezes a vida um mar sereno
Outras vezes em um mar bravio
Tem sido para mim um desafio
Em um céu azul de Polifemo

Nadando sobre ela, te encontrei
Era um verão de cristas de galo
Nós dois abraçados num regalo
Volúpias lembranças que neguei

Seu olhar ao meu já não vê
Trêmulo suspirando sem crer
No lago escarlate dos dias

Como barco sem céu a deriva
Não mais o azul daquela vida
Só o charco turvo da acídia

 

Mensagem

Nos teus infinitos
Sustenidos e bemóis aporto
querida
És a nova vinda a mim
Não sei como dizer
Tudo o que sinto
E no teu olhar
Miro o futuro
me equilibro
Em qualquer cais
e, por toda eternidade
te amo e soluço
aqui jaz aquele que encontrou
em você a possibilidade de um grande amor.

 

Outono

As folhas não C
A
E
M ais
Faltam letras e
vocabulário
Melodia sem som
Romance sem palavras
Rima sem estilos
sem contornos e cores
Bosques
sem
plátanos
Aqui é ninguém
Ouço os violinosverlandiando
São folhas mortas
Alucinação!
Poesia não se transfere
Me va levar a tostada

Frida Querida, na cama … Na casa Azul.
Enferma. A dor plangente. Os membros despedaçados
As facadas cirúrgicas. As bonecas. O amor pela artecorpo. O corpo a serviço d´art
Amputaram minha perna, deceparam meu corpo, me deixaram maluca
A paixão pela fotografia. Fotobiografia . Rivera o homem
A Blanche DuBois de um Bonde Chamado Desejo
Uma das minhas divas dos séculos passados
Minha amada riverum. Riviver. Forever.

 

Dança ritual

Toca
Toca na pedra
Toca no pau
Toca no coro
Dança
Dança ritual
Dança nua
Dança para o rei
Saudação
Saudação às dançarinas mortas
Saudação aos ministros do rei
Saudação ao novo jaguar

 

Virgens

Vinte e duas virgens costuram a roupa do rei
Cavaleiros experientes o saúdam
Mulheres infiéis são punidas

***********

Água
Chuva
Colheita
Circuncisão
Caça
Caça o hipopótamo
Animais são sangrados
Os deuses têm sede
O sol nasce e morre
Nascente – poente
Norte e Sul
Dança- ritual

Share:
Tácito Costa

Comentários

7 comments

  1. Maria Aparecida Anunciata Bacci 8 junho, 2017 at 09:19

    Belíssima homenagem ao professor João da Mata Costa ,bibliófilo, escritor e poeta.

  2. Anchieta Rolim
    Anchieta Rolim 8 junho, 2017 at 13:55

    Damata, massa demais! Você que faz parte da história do SP desde a criação do blog, receba os meus parabéns duplicados rs, rs… um pelos poemas e outro por fazer parte do SP. Abraços, meu amigo!

  3. François Silvestre
    François Silvestre 9 junho, 2017 at 19:31

    Uma bela homenagem. Com o aval do homenageante e o mérito do homenageado! Parabéns aos dois.

  4. João da Mata 10 junho, 2017 at 01:04

    Muito obrigado pela homenagem querido amigo Tácito Costa. Adorei a postagem. Alguns poemas saíram da formatação via mensagem. Vale a atenção. Forte a abraço

  5. Oreny Junior
    Oreny Júnior 10 junho, 2017 at 08:45

    Parabéns, Professor João da Mata Costa, conhecedor da literatura, leitor voraz, aguardamos o lançamento desses inéditos! Abraços!!!

  6. Rosário de Oliveira 10 setembro, 2017 at 22:59

    Parabéns João da Mata!! Espero em breve seu livro!! Você deve isto aos seus leitores!!

Leave a reply