Crônicas e Artigos

Mulher Rosa dos Ventos

rosa

Assim diz a canção que fiz à minha amada, homenageando todas as mulheres. De fato, a mulher é a nossa rosa dos ventos, porque é ela quem nos aponta todas as direções, habita horizontes. Nós homens (pobre de nós!) temos um único norte que elegemos. Um poema nerudiano reconhece que o coração de uma mulher é que faz o mundo girar.

Falava sobre o tema quando o meu neto, Diogenes Augusto (12 anos), comparou-a com a rainha, dama do jogo de xadrez. Ela é a mais poderosa das peças do tabuleiro. Tem a maior mobilidade, seja na vertical, horizontal ou diagonal. O seu protegido, a única peça essencial, o rei, anda apenas de casa em casa.

Na canção, valorizada pela voz de Lucinha Lira, Liz Nôga e Glorinha Oliveira, digo que Mulher tem qualquer coisa de estrela. É sempre muito distante, ilumina e conduz nosso olhar para o alto. Não temos a possibilidade de apreendê-la. Nenhuma delas. Ouso discordar do Poeta que pede perdão às feias porque a beleza seria fundamental. Estou com Tom Jobim: “Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”.

As mulheres têm uma sabedoria instintiva que a empregam com dedicação e persistência. Espertas, colocaram na cabeça dos homens que são o sexo frágil e, como tal, devem ser protegidas e merecer honras. A superioridade feminina é incontestável. Já “os homens distinguem-se pelo que fazem, as mulheres pelo que levam os homens a fazer”, ensina Carlos Drummond de Andrade.

A cultura tradicional, contudo, parece ter aprendido o triste tratamento bíblico: “A mulher aprenda em silêncio, com toda a submissão” (1 Timóteo 2.11). Todavia, prefiro advertir que tenham cuidado com mulher que permanece muito tempo em silêncio. Ela é perigosa.
Pablo Picasso, que retratou poucas mulheres lindas e deformou muitas perfeições, devia gostar de Timóteo, repetindo que a mulher para ser perfeita deve ser passiva e submissa. Talvez quisesse dizer que se submetessem às suas mãos criadoras de feiuras estéticas.

A superioridade feminina é estatisticamente comprovada, vivem mais que os homens. É que têm maior senso do perigo, facilmente identificam malfeitores, percebem detalhes, veem mais profundamente, não possuem o hormônio da violência, suportam melhor as dores. Além de tudo isso, a mulher é a responsável maior pela construção da família, estruturante da personalidade dos filhos.

É verdade que a força física não é o seu forte. Talvez, porque reconheçam que a força é sempre usada em trabalho secundário. Ela sente que é possível fazer tarefas múltiplas ao mesmo tempo.

Apesar de não me considerar um mulherólogo de carteirinha, afirmo mais daquilo que eu sinto do que o que sei.

Vista com amor, a mulher é rosa. Em ação, tem a força, nem sempre transparente, dos ventos.

Share:

Comentários

Leave a reply